Maior Degelo Registrado no Ártico – Mudanças climáticas à vista



Maior Degelo Registrado no Ártico – Mudanças climáticas à vista – No texto abaixo, poderemos notar que a Terra está esquentando mais do que nunca. É preciso a mobilização mundial, para que se possa ao menos diminuir os efeitos dessa catástrofe mais do que anunciada. Nada se progrediu em relação aos tratados anteriores (ver tratado de kyoto), para tentar amenizar, ao menos, a emissão de CO2 (além de demais gases), fator preponderante para a aceleração do efeito estufa (aquecimento global).

Deixo com vocês uma explicação mais detalhada dos eventos, com Alexandre Araújo Costa*

As fotos a seguir são do monitoramento da extensão de gelo no Ártico (mais precisamente da área do Oceano Ártico contendo pelo menos 15% de gelo). A linha escura, envolta por uma faixa cinza são as condições “normais” para as últimas décadas do séc. XX. Todo ano, como resultado da alternância das estações, a área de gelo cresce e decresce. Mas o valor mínimo “normal”, que ocorre nos meses de Setembro, costumava ser da ordem de 7 milhões de quilômetros quadrados?

O que tem ocorrido no século XXI, como resultado do aquecimento global causado pelo aumento da concentração de CO2 e demais gases de efeito estufa na atmosfera? Um degelo bem mais vigoroso tem ocorrido no verão do Hemisfério Norte.

A razão desta mensagem é chamar a atenção para a pulverização do recorde de degelo, que havia sido registrado em 2007. Neste ano de 2012, ainda em Agosto, e portanto com bastante degelo ainda por vir, já ficamos abaixo do mínimo registrado naquele ano. Na verdade, tudo indica que a área do gelo do Ártico em Setembro de 2012 será da ordem (ou até menos) da metade do normal!

Os eventos extremos em todas as partes do mundo (secas, tempestades severas, deslizamentos, incêndios florestais, etc) já deveriam ter chamado a atenção para a necessidade premente de se combater a elevação do efeito estufa, reduzindo as emissões. Urgência e Clima foram duas palavras que nunca andaram tão próximas uma da outra quanto agora…

Alexandre Araújo Costa é bacharel e mestre em Física pela Universidade Federal do Ceará, Ph.D em Ciências Atmosféricas pela Colorado State University, com pós-doutorado pela Universidade de Yale. Possui publicações em diversos periódicos científicos, incluindo-se Science, Journal of the Amospheric Sciences e Atmospheric Research. É bolsista de produtividade do CNPq e membro do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas.

Abaixo, vídeo de animação NASA:







Plurianual gelo do mar, ou o gelo que sobreviveu pelo menos dois períodos de derretimento no Ártico, está diminuindo rapidamente. Esta animação mostra como a camada de gelo do mar, numa estimativa do volume total de gelo do Oceano Ártico, evoluiu 1980-2012. Crédito: NASA / Goddard Estúdio de Visualização Científica.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.